Divulgada a capa do livro "O Caso Laura" de André Vianco

Divulgada a capa do livro "O Caso Laura" de André Vianco

 O escritor brasileiro André Vianco anunciou em seu blog a capa do  seu 13º livro: O Caso Laura.

 Este livro do autor não trará vampiros em suas páginas, nem é de terror, como o autor disse O Caso Laura é um 'policial dark' .

O lançamento esta previsto para o dia 26 de Março  pela editora ROCCO.

Segue o 1º capitulo:

 

- Não sei se eu já te falei, pai, mas arranjei um amigo novo. Acho que faz umas quatro ou cinco semanas que nos encontramos todos os dias. Vejo mais ele do que vejo você, mas sei que você entende e não fica chateado com isso. Você sempre quis que eu me divertisse mais, sempre me empurrou para os carinhas interessantes quando eu estava no colégio, me encorajando e conversando comigo a respeito de tudo na vida.
Laura suspirou e ficou olhando para o pai, meio que esperando uma resposta, um sinal de aprovação.
– Você sempre fez o tipo de pai moderninho. Minhas amigas não acreditavam quando eu contava os papos que a gente tinha. Quando eu contava das vezes que você me tirava do quarto, da frente do computador ou da TV e fazia eu me trocar e colocar batom e tudo pra ir a uma festa ou baladinha com as amigas, elas surtavam. Diziam para eu cuidar de você até o fim da minha vida porque pai assim não existe.
O sorriso tímido que teimava em brotar nos lábios sempre morria quando chegava o silêncio. Ela falava com o pai usando um tom baixo na voz. Não que o pai fosse se importar com o volume, mas ela sempre teve aquilo, verdadeira aflição em ser notada e horror a incomodar os outros com sua voz aguda. Lembrava do desconforto que era escutar a si própria numa gravação caseira, falando para a câmera nas festas de amigas ou na formatura. Já que estavam em um hospital, tinha medo dos familiares do leito ao lado a ouvirem fazendo suas confissões eventuais ao pai acamado. Ela deixou outro suspiro fugir do peito e cruzar a distância entre ela e o pai calado. De tempos em tempos ela ajeitava o cabelo e remexia as rosas no jarro d’água improvisado como vaso. Casa de ferreiro, espeto de pau. Ela bem que podia trazer um vaso decente, mas nunca lembrava por conta de só visitar o pai quando dava na veneta ou quando estava demasiadamente deprimida, sem ninguém mais para escutá-la. Evitava estar ali, não por falta de paixão ou consideração, mas é que a jovialidade e a intensidade das palavras daquele homem em muitas conversas travadas num passado nada distante oprimiam ainda mais o peito daquela filha. Raro era o episódio em que ela entrava ali, naquele quarto, de caso pensado, com tudo planejado e esquematizado na agenda. Acontecia de ela estar ali. Muitas vezes com os olhos rasos d’água pela tristeza que pisoteava seu peito ou tomada pelas lembranças dos carinhos e cuidados daquele paizão ausente que segurava tanto a sua barra...Continue Lendo

Oi

Data: 14-03-2011 | De: Andrea

Não conhecia seu blog ainda! Estou seguindo!
Obrigado por visitar o Fundo Falso alias! ^^
Este novo livro do Andre Vianco me parece bem interessante!! Fora a capa linda ne!

Bjus, uma ótima semana!
Andrea,
www.fundofalso.com

Comentario

Data: 11-03-2011 | De: raphaela

O André Vianco está com tudo né?!
Ainda nao li nada dele, mas ele está fazendo o maior sucesso.

Adoorei a capa, achei LINDA!!
Gosto de livros policiais.. quem sabe eu começo por esse aí né?!

Beeijos
Rapha - Doce Encanto

Novo comentário